Grand Canyon South Rim

Depois de toda expectativa que fiz no post sobre a nossa road trip pela rota 66 de Las Vegas ao Grand Canyon South Rim, aqui vou falar da minha experiência dentro do parque nacional e como foi fazer a vigem bate e volta de Vegas até essa maravilha, vamos lá que temos muito assunto para esse post.

O Grand Canyon está localizado no estado do Arizona, tem 446km de extensão, 29km de largura e 1,6km de profundidade, é considerado uma das sete maravilhas do mundo natural e foi esculpido por meio de processos erosivos principalmente pelo Rio Colorado e seus afluentes há aproximadamente 2 bilhões de anos. É dividido em três partes, Grand Canyon West Rim, Grand Canyon South Rim e Grand Canyon North Rim, somente o South Rim e o North Rim estão dentro do Grand Canyon National Park, que recebe cerca de 5 milhões de turistas por ano e é administrado pelo governo americano.

Grand Canyon West

É comandado pela tribo de índios Hualapai e não está localizado dentro do Grand Canyon National Park. É nessa parte que tem a Skywalk, aquela plataforma de vidro em forma de U onde você pode andar e ver o Canyon em baixo dos teus pés. A borda oeste fica a aproximadamente 200km de Las Vegas. Você pode escolher duas opções de tickets para visitar esta borda:

  • Legacy Package Adult U$46,95 por pessoa, que inclui estacionamento e ônibus que te levam aos três pontos de observação (Eagle Point, Hualapai Ranch e Guano Point).
  • Gold Package U$71,38 por pessoa, que está incluso a entrada para a Skywalk e refeição no local além do ônibus.

É proibido a entrada com câmera fotográfica e celulares na Skywalk, então você fica preso a levar a foto que os fotógrafos do local tiram, e quem vai deixar de levar uma lembrança desse momento para casa? E aí vai morrer mais pelo menos U$20.

Grand Canyon North Rim

É aberto aos visitantes somente de 15 de maio a 15 de outubro, por isso é  menos visitado e sua estrutura é menor, conta com hotel, área para camping e restaurante. Além de áreas não pavimentadas e menos pontos de observação (Bright Angel Point, Point Imperial, Cape Royal) do que o South Rim. Fica a 425km de Las Vegas.

Grand Canyon South Rim

É a parte mais visitada do Grand Canyon, está localizado a 450km de Las Vegas e tem uma ótima estrutura, hotéis, restaurantes, áreas para camping, mercado, correio, banco, etc. Conta com 4 linhas de ônibus que levam aos vários pontos de observação e até a cidade de Tusayan, que fica próxima ao parque nacional, muitas pessoas se hospedam nessa cidade para explorar o canyon por alguns dias. Quem quiser também pode se hospedar dentro do Parque, mas é preciso que a reserva seja feita com alguns meses de antecedência.

As linhas de ônibus que estão disponíveis dentro do parque são gratuitas e são elas:

  • Village Route (linha azul) circula pelo Grand Canyon Village, levando do Centro de visitantes até estacionamentos, hotéis, campings e restaurantes.

linha-azul

  • Kaibab Rim Route (linha laranja) circula do centro de visitantes levando até cinco vistas cênicas, incluindo um museu de geologia.

linha-laranja

  • Hermist Rest Route (linha vermelha) circula do Grand Canyon Village até Hermist Rest, conta com 9 pontos panorâmicos. É considerada a principal linha, onde estão as vistas mais famosas do Grand Canyon.

linha-vermelha

  • Tusayan Route (linha roxa) Circula do visitor center até a cidade de Tusayna, transportando as pessoas da cidade até dentro do parque. Mas para quem utiliza essa linha é preciso comprar o ticket para entrar no parque, que custa $15 por pessoa.

linha-roxa

Existe também a Desert View, que não é atendida por nenhuma linha de ônibus e você pode ir de carro, ela fica a leste da linha laranja, são 40km que levam até a Desert View Watchtower, uma torre de observação onde se tem vistas privilegiadas do Canyon, pelo caminho existem 7 pontos de parada que incluem o Tusayan Museum.

Mapa da borda sul, e todas as linhas que operam lá dentro.

Eu me surpreendi com o tamanho do parque que está localizado a borda sul, a estrutura é imensa, e vou ser sincera para andar por tudo aquilo, ou pelo menos por  grande parte é preciso mais de um dia, mas nossa intenção era somente contemplar a beleza do Grand Canyon, passamos poucas horas ali dentro, não andamos muito, então não posso detalhar cada ponto de observação, mas só de estar ali olhando aquela grandiosidade toda valeu a pena todo o percurso que fizemos desde Las Vegas. Chegando no parque, a gente passa por uma cabine de bilheteria, compramos nosso ticket que é valido por 7 dias, e dirigimos até o estacionamento, para vocês terem noção só na parte do Grand Canyon Village são 4 parkings.

Paramos nosso carrinho no P3 e fomos achar um bom ponto de observação. Nossa primeira parada foi no Mather Point, e eu ainda não consigo descrever a sensação que foi estar ali e ver aquela coisa enorme e grandiosa bem diante dos meus olhos, a única coisa que passava na minha cabeça era “isso não é real, é uma pintura no céu.” Foi incrível, a coisa mais linda que eu já vi na vida, o lugar mais grandioso, o contato mais intenso que tive com a natureza no “sentir”. Não tem explicação, e nada do que eu disser aqui vai conseguir ilustrar o que foi aquele momento que eu olhei o Grand Canyon pela primeira vez. Fiquei literalmente eufórica, queria tirar foto de cada canto, de cada pedaço dele, cada passo que eu dava, queria uma foto. Andamos um pouco por ali mesmo, não chegamos a pegar nenhuma linha de ônibus nem nos deslocar para outros pontos de observação com o carro, ficamos 2h dentro do parque andando e observando aquela vista sensacional que até agora não tenho palavras para descrever, aquilo é coisa de Deus, bilhões de anos sendo esculpido pelas ações do tempo e sinceramente nem parece real, parecia um quadro, uma pintura, uma miragem, uma visão, tão enorme, tão grandioso, tão profundo e tão REAL, ali diante dos meus olhos.

img_9749

Depois de algumas caminhadas tranquilas estávamos famintos, e como achar algum lugar para comer ali naquele lugar enorme? Peguei o mapa que eles dão na entrada e fomos até o Market Plaza, fomos de carro mesmo. Ali tem o Yvapai Lodge, banco, correio e um mercado com lanchonete. Queríamos ter ido até a Desert View, mas já eram 16:30 e tínhamos bons Km’s até Las Vegas e a gente não queria chegar muito tarde no hotel, então pegamos o caminho da roça.

img_9802

Ficamos pouco tempo dentro do Grand Canyon National Park, não vou dizer que 2h foram suficientes, porque não foram, a euforia foi tanta que não sentei um pouco e só observei aquela grandiosidade toda diante de mim, mas não tem explicação estar ali. Não me arrependo de ter feito essa viagem bate volta, e se me perguntarem eu indico sim. Melhor do que ir até o Grand Canyon West, pagar cerca de $100 dólares por pessoa (incluindo a foto) e ver a parte que não está dentro do parque nacional, tipo a parte verdadeira, a parte real do Grand Canyon é o South Rim. Era isso que eu queria, e foi isso que fizemos, e ainda fomos pela rota mais famosa e antiga dos Estados Unidos, foi uma experiência única, e só quem faz essa loucura sabe o que quero dizer.

A volta foi muito tranquila, fomos pelo caminho normal, sem desvios, meu namorado voltou dormindo e eu liguei o rádio, acionei o piloto automático e vi o sol se por naquela reta eterna, no total rodamos 910km, chegamos em Vegas por volta das 20:30 e se eu falar que essa foi a noite que mais aproveitamos e fomos dormir mais tarde vocês acreditam? Pois é, foi isso mesmo que aconteceu. A parte mais cansativa de toda essa viagem louca foi depois que saímos de Williams, rodamos uns 95Km até a entrada do parque e acho que pela ansiedade o tempo não passava. O resto como paramos bastante em vários pontos inusitados e interessantes foi super tranquilo, a volta também, eu já tinha descansado bastante na ida e quando paramos para abastecer meu namorado foi pegar o carro e eu não queria dar, dirigir naquelas estradas é muito bom, tudo é muito sinalizado, as pistas são largas e os motoristas super tranquilos, a única coisa mais chatinha é o vento do deserto, cheguei em Vegas com meu braço doendo, temos que segurar o carro reto para ele não andar desvairado pela pista por causa da força do vento, é tão forte que tem horas que o carro dá umas escapadas para o lado, por isso é preciso atenção e firmeza, de resto dirigir por aquelas estradas é maravilhoso.

 

Mapa do nosso percurso total feito no dia, de Las Vegas ao Grand Canyon South Rim pela rota 66, e do Grand Canyon a Las Vegas pela I40

Considerações finais

  • A maioria dos pontos de observação do parque não tem nenhum tipo de grade ou guarda corpo, é o abismo logo em frente, então tomar cuidado é fundamental. No começo fiquei um pouco chocada e com medo, mas depois você se “acostuma” e toma os cuidados necessários.
  • É muito comum achar esquilos pelo parque, eles são suuuper bonzinhos, vem pra cima da gente e querem comida, algumas pessoas até dão, mas tem algumas placas espalhadas pelo caminho dizendo que é proibido alimentar os animais, então não custa respeitar. Mesmo nós não dando nenhum tipo de comida, eles vieram até nós e conseguimos tirar boas fotos e até passar a mão neles.
  • As comidas não são caras, então não precisa fazer estoque para economizar. Levar comidas para a viagem de carro é ideal, ou até fazer um piquenique dentro do parque é super divertido. Mas não precisa se preocupar somente com a economia, pois eu paguei em um combo de lanche, batatinha e refri grande com copo de souvenir uns $10 dólares.
  • Sempre leve um garrafinha de água, apesar de ter bebedores espalhados é importante ter junto uma garrafa, a sede sempre bate quando estamos longe de tudo. Na verdade essa dica é para a vida, eu sempre carrego garrafas em viagens dentro de uma “bolsa emergencial” que também deixo uma nécessaire de remédios, e alguns itens que não da para ficar sem. Mas a princípio no parque use a dica da água.
  • E mais uma vez, faça essa viagem até o Grand Canyon South Rim, não se contente em ir apenas a parte Oeste que é comandada pelos índios, não estou dizendo que não é legal, nem que não é Grand Canyon de verdade, mas a parte mais famosa, mais real disso tudo é a borda sul. O cansaço você recupera dormindo no caminho, e pode ter certeza a sensação de ver aquela coisa grandiosa é impagável.
  • Lembre-se a viagem tem que ser feita bate e volta em pelo menos dois motoristas, para uma pessoa só fica cansativo. Enquanto um descansa o outro dirige, e quando os dois estão acordados o copiloto distrai o motorista.
  • Sim vale a pena, vale muiiiito a pena fazer bate e volta de Las Vegas até a borda sul, e se for pela rota 66 melhor ainda.

Beijos e até o próximo post da viagem, vou contar minha experiência de viajar com o dólar alto e dar algumas dicas legais

Anúncios

2 comentários sobre “Grand Canyon South Rim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s