Natal em Foz parte 2 – Paraguai

Como prometido, hoje vou falar sobre a minha experiência no Paraguai. Eu sou uma pessoa muiiito chata quanto a originalidade dos produtos, não compro coisas falsificadas de jeito nenhum, prefiro usar algo sem marca do que comprar falso, e quando fui para Foz é claro que não podia deixar de conhecer o Paraguai e saber um pouco de como funcionam as coisas por lá. Mas sempre achei que seria impossível existir produtos originais naquele lugar e pensava “como os produtos que compro nos EUA podem ser vendidos em outro país pelo mesmo preço e serem originais?”. Pois bem, mordi a língua, porque por incrível que pareça existem sim coisas originais no Paraguai, e para quem assim como eu tem medo de comprar por lá vou dar dicas das lojas que realmente me senti segura e que tem produtos originais.

Nosso passeio ao Paraguai não estava incluso no pacote, então pagamos R$60 por adulto e R$20 criança, saímos bem cedo do hotel para evitar pegar trânsito na ponte da amizade, e foi ótimo porque retornamos cedo ao hotel também. Não pegamos fila e estava tudo livre, o nosso ônibus nos deixou dentro do estacionamento do Shopping Del Este, chegamos por voltas das 8:30 e o horário combinado de saída era 13:30.

shop del este

Começamos nossa aventura  no Shopping Del Este que nada mais é que um shopping normal, tem lojas como Nike, Tommy Hilfiger e outras que vendem perfumes, cosméticos e eletrônicos. As lojas  como Nike e Tommy acredito que sejam da própria marca, assim como encontramos lojas dessas marcas no Brasil, e a originalidade é garantida, quanto aos valores não são muito convidativos, os preços são bem normais comparados ao Brasil, algumas coisas nem compensa comprar com o dólar em alta. Quanto as outras lojas achei bem normais, perfumarias com  preços justos, muitos produtos da MAC, Victoria’s Secret, Aussie, Loreal, Moroccan Oil, e etc… Para você se sentir mais segura na hora de escolher o local de suas compras é só ir pelo preço e “tipo da loja” entrei em uma que tinha uma variedade imensa de produtos da MAC e os preços eram um pouco mais caros que nos EUA e a loja era super bem apresentada, linda, vendia objetos de decoração super chiques, lustres de cristais, além dos cosméticos mara que amamos, nessa me senti segura, mas não comprei nada.

Andando pela rua a coisa fica feia, são muitas barracas, muita gente te oferecendo meias, cuecas, armas, drogas… Tem de tudo, é um lugar muiiiito feio e dá até aquela insegurança de andar, para ter uma ideia quanto a beleza é bem pior que a 25 de março, por isso aconselho vocês a irem bem básicos, sem chamar a atenção quanto a roupa, tomar cuidado com bolsas porque eles sabem que os turistas vão pra lá com dinheiro então sempre ficam arranjando um jeito de te vender algo, basta falar não e nem dar atenção que eles não vão te pressionar. As lojas que fomos entrando pela rua não achei nenhuma confiável, os preços eram absurdamente mais baratos que do shopping e nenhuma me passou segurança. Imaginei que fosse achar bugigangas, tipo coisas que tem na 25 de março, decorações, coisinhas, bijus e tal, mas não, se não me engano achei somente uma loja assim mas os preços não eram bons, lá é tudo em dólar e não compensava comprar. Mas todas as lojas aceitam pagamento em real também.

Subimos a rua e chegamos na tão falada Monalisa, logo que entrei na loja já deu para perceber que ali as coisas eram beeem diferentes, ela tem 6 andares e cada um é seprado por setores e marcas, para quem conhece a Macy’s nos Estados Unidos ela é bem parecida com essa Monalisa, tanto na disposição dos produtos quanto nos produtos em si. Lá encontramos marcas como Calvin Klein, Channel, Dior, Clinique, Cartier, Essie, Bentley, Ferrari, Fossil, Gucci, Bulova, Apple, Bose, HP, Nikon, GoPro, Cusinart, Le Creuset, Adidas, Hugo Boss, Carrera, Kippling, Lacoste, Hollister, Gap, Abercrombie, Marc Jacobs, Asics, Tommy Hilfiger, Jimmy Choo, L’oreal Paris, Fendi, Hermés, Guess, Michael Kors, Tissot, e muitas outras.

As marcas são separadas como se fosse em pequenos stands e todos os produtos tem etiqueta da própria marca. Me surpreendi mais ainda quando fui na Victoria’s Secret, era um stand enorme com letreiro e mobília da marca, igualzinho a loja que tem no Free Shop tanto do Brasil quanto de outros países que já fui. Percebi que os produtos eram originais porque tinha muita coisa diferenciada que não se falsifica,  nas lojas do Free Shop tem produtos exclusivos que não vendem nas lojas da Victoria’s Secret dos EUA, por exemplo o porta passaporte, bolsas diferenciadas, malas, acessórios, essas coisas não encontramos nos EUA, e nas lojas do Free Shop tem aos montes, e também tem na Monalisa. As  compras  na Victoria’s eram colocadas na tradicional sacola rosa listrada, eu comprei somente um creme da linha PINK, o preço estava mais barato que o Free Shop da Argentina porém mais caro que nos EUA. Tem um andar reservado só chocolates e guloseimas das melhores marcas, como Nutella, Oreo, Raffaello, Milka, Lindt, M&m’s, Kinder, Havanna, Toblerone, Goldkenn, Côte d’Or, e algumas outras. Além da parte da adega que tem uma infinidade de marcas de bebidas e um restaurante japonês.

O que eu achei mais legal é que você compra um produto, eles imprimem a nota, e você tem que levar até o caixa que fica no térreo, lá você paga e retira sua sacola. Pelo menos o creme que eu compre foi desse jeito, mas os chocolates pagamos no caixa do próprio andar. Quanto ao pagamento lá eles aceitam real e dólar, e você também pode pagar no cartão de crédito, mas aí eles cobram 10% a mais sem contar o IOF que vem na fatura, então o melhor é comprar em dinheiro mesmo, tanto na Monalisa quanto nas outras lojas do Paraguai.

Confesso que me por uma lado super me decepcionei com o Paraguai, e por outro me surpreendi, me decepcionei porque imaginava que fosse voltar cheia de bugigangas, enfeites para meu quarto, coisinhas, e no final não tinha nada disso, não se compara a 25 de março nesse quesito. Mas me surpreendi porque não imaginei que fosse encontrar produtos originais e uma loja tão bonita, cheia de marcas luxuosas e conceituadas.

É claro que falando assim é difícil alguém que nunca foi e tem o mesmo pensamento que o meu, acreditar no que estou falando. Antes de ir viajar pesquisei bastante sobre lojas no Paraguai, e muita gente dizia que tinha lojas confiáveis, mas eu não acreditei, só fui acreditar mesmo quando cheguei lá e comprovei com meus próprios olhos. Uma dica que eu dou, ninguém faz milagres, se você sair para pesquisar preço você sempre vai achar coisas mais baratas, mas acho que se tratando de Paraguai, não temos que buscar preço e sim confiança, entrar na loja e se sentir seguro, ver o adesivo de importação da loja, ver que tem a sacola original da marca, ver que os preços são um tantinho mais caros que os EUA, essas coisas que nos transmitem uma segurança enorme. Depois que eu vi o stand da Victoria’s Secret com os produtos exclusivos de Free Shop e que os preços não eram absurdamente barato igual as outras lojas, que a sacola e a mobília é da própria loja, me rendi e percebi que ali as coisas eram 100% originais. Outra coisa que me comprovou isso foi ver que em todos os produtos tem um adesivo de que a Monalisa é importadora, depois dessa fui sem medo nessa loja, apesar de não ter comprado nada além do creme.

Mas é assim, quem realmente conhece produtos importados, já viajou para os Estados Unidos, sabe diferenciar um falso de um original, mesmo que não seja pelo produto em si, mas existem alguns fatores que só de olhar e saber o preço a gente já percebe na hora que é algo pirata.

Para entrar no Paraguai não é preciso passaporte, pode ser o RG mesmo, a fiscalização é feita na saída, passamos pela policia federal e lá eles podem querer conferir suas compras, a cota é de $300 dólares, então se passar disso eles cobram uma taxa do valor excedente. Quando saímos não pararam nosso ônibus, então não precisamos mostrar nada, confesso que não sei como funciona para quem vai de táxi, só sei que ele deixa na ponte de amizade, aí você tem que atravessar a pé.

Minhas pequenas compras além do creme da VS foi uma escovinha para lavar o rosto e uma necessaire super fofa, queria bugigangas mas vou ter que ir na 25 de março mesmo me esbaldar nos cacarecos.

Beijos e o próximo post é sobre o Free Shop de Puerto Iguazu na Argentina.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s